O blog mais relevante sobre licitações e contratos do Brasil

Junte-se aos nossos mais de 52.000 leitores. Cadastre-se e receba atualizações:


A IN 04/2010, o Planejamento Estratégico, a EGTI e o PDTI

Autor:

Categoria: Planejamento, TI - Tecnologia da Informação

Tags: , , ,

A IN 04/2010 prescreve que “Art. 4º As contratações de que trata esta Instrução Normativa deverão ser precedidas de planejamento, elaborado em harmonia com o PDTI, alinhado ao planejamento estratégico do órgão ou entidade”. Para entender como isto funciona, precisamos antes entender a equação abaixo:

PEI + EGTI = PDTI

PEI + EGTI = PDTI

Neste post, iremos decifrar esta equação, explicando o seu funcionamento e o seu reflexo na contratação de soluções de Tecnologia da Informação.

Comentários (3)


Pontos de Função como possíveis unidades de medida na Contratação Pública de Soluções de TI pela IN 04/2010

Autor:

Categoria: Planejamento, TI - Tecnologia da Informação

Tags: , ,

Assim como o metro quadrado é uma unidade de medida utilizada para dimensionar o tamanho de uma sala, o quilômetro é uma unidade de medida utilizada para dimensionar a distância entre dois pontos e o litro é uma unidade de medida utilizada para dimensionar o volume de um vasilhame, o Ponto de Função é uma unidade de medida que pode ser utilizada para dimensionar o tamanho funcional de um sistema.

Como qualquer outra unidade de medida, o Ponto de Função deve valorar uma unidade mensurável e aferível. Assim como somos capazes de aferir se uma sala possui 50 metros quadrados, a distância entre uma cidade e outra é de 100 quilômetros ou que uma garrafa possui 2 litros, devemos também ser capazes de aferir que um determinado sistema possui 5.000 Pontos de Função.

Comentários (2)


Contratação Pública de Soluções de Tecnologia da Informação

Autor:

Categoria: Licitação, Planejamento, TI - Tecnologia da Informação

Tags: , , ,

Os últimos levantamentos do TCU na área de Tecnologia da Informação têm dado ênfase para o tema Governança de TI. As recomendações realizadas no acórdão 1.233/2012 demonstram claramente que a adoção de boas práticas de governança e que a existência de processos bem definidos para a concepção de soluções de Tecnologia da Informação são aspectos relevantes e que devem ser levados em consideração pelo gestor público.

Neste sentido, fica a dúvida: as mesmas práticas e recomendações amplamente utilizadas pelo setor privado (como por exemplo, Cobit, PMBoK, RUP, ITIL, Contagem de Pontos de Função, entre outros) podem ser aplicadas pela Administração Pública?

Comente


Próximos Seminários Zênite